Fertilidade Masculina

Quais fatores podem prejudicar a fertilidade masculina?



Podem ser testiculares, comportamentais, ligados às relações sexuais ou a tratamentos específicos (como no caso do câncer), entre outros.

Tabagismo e drogas, como a maconha (influenciam na concentração, motilidade e morfologia dos espermatozoides, reduzindo a qualidade do sêmen).

Bebida alcoólica em excesso (diminui o volume do sêmen e a testosterona).

Excesso de exercícios físicos (nesse caso, a endorfina liberada compromete a espermatogênese, ocasionando a redução na produção de espermatozoides).

Dietas exageradas (diminuem a produção de espermatozoides).

Obesidade e sobrepeso (também diminuem a produção de espermatozoides).

Uso de anabolizantes (compromete a capacidade de fecundação dos espermatozoides, pois pode afetar diretamente o funcionamento dos testículos, impedindo a produção adequada dos hormônios masculinos).

Tratamentos oncológicos, como a quimioterapia, radioterapia ou cirurgias (podem comprometer permanentemente a fertilidade dos pacientes masculinos).

Alguns antibióticos, medicamentos para calvície, hipertensão arterial, gastrite, úlcera, entre outros (podem influenciar na infertilidade masculina).

Alguns agentes tóxicos (geralmente reversíveis), como chumbo, manganês, mercúrio ou até mesmo a alta exposição ao calor intenso, nocivos aos espermatozoides.

Varicocele: doença ocasionada pela dilatação das veias que circundam os testículos, aumentando sua temperatura local. Possui graus de 1 a 4, mas os responsáveis pela infertilidade são os graus mais avançados.

Infecções do trato genital masculino (próstata, epidídimo ou testículo): merecem atenção especial, pois muitas delas não apresentam sintomas, como as infecções por clamídia (doença sexualmente transmissível).

Ejaculação precoce, dificuldade de penetração, impotência, entre outros fatores ligados às relações sexuais.

Obs.: os fatores testiculares geralmente são divididos em: pré-testicular (ocorre fora do sistema reprodutor masculino), testicular (no próprio testículo) e pós-testicular (aqueles que, no momento da ejaculação, impedem a saída dos espermatozoides através do sistema de ductos).